quarta-feira, 21 de abril de 2010

Desordem

Desordem



Pessoas no lugar errado,

pensamentos no lugar de sonhos.

Sonhos desfocados da vontade,

vazio no coração.

Palavras que nada exprimem,

caminhos que não conduzem.

Mensagens que não ensinam,

éticas jogadas no chão.

Ideologias cruzadas,

destinos paralelos.

Ilhas humanas

de objetivos naufragados.

O horizonte esconde

o resto do caminho.

Os pés confiam,

vão em busca do futuro.

No escuro do silêncio

a alma pede perdão.


Roberta Marcon
© Todos os direitos reservados

quinta-feira, 4 de fevereiro de 2010


Eu e a Noite


Fecho os olhos

e ouço a noite chegando.

O frio das paredes se espalha

no meu peito.

Frestas e vãos ainda entregam um

pouco de luz fraca.

Procuro dentro de mim

um motivo para não me distrair,

não posso dormir.


Quero estar acordada

enquanto a noite avança.

Quero ouvir seus lamentos

e sentir seus medos,

descobrir as razões,

desvendar alguns segredos.

Quero a companhia

de sua solidão.


Não me importam

seus riscos,

nem me incomodam seus caprichos.

Enquanto houver o horizonte negro

além da minha janela,

onde o céu abraça o chão

o tempo inteiro,

pensamentos são flores perdidas

e fazem de mim

o seu canteiro.


Não será preciso procurar,

as coisas vêm ao meu encontro.

As palavras que esqueci,

os amigos que tive,

os abraços que eu dei,

as rugas que não notei...


O frio da noite refresca

a memória.

Dos seus porões saem

as dúvidas.

Em seus corredores ecoam

as respostas.

Roberta Marcon

© Todos os direitos reservados

segunda-feira, 11 de janeiro de 2010

Pensando na Palavra...



“Ex abundantia cordis os loquitur”

A boca fala do que é abundante no coração.



“Ninguém pode calcular a potência venenosa de uma palavra má num peito amante”.

(Shakespeare)

“Cada ser humano é único; é uma palavra de Deus que não mais se repete”.

(Karl Adam)

“A palavra foi dada ao comum dos mortais para comunicar os seus pensamentos e aos sábios para os disfarçar”.

(Robert South)

“É muito silêncio enquanto as flores não crescem e os poetas dormem”.

(Eolo Yberê Libera)

“Não concordo com uma só palavra do que dizeis, mas defenderei até a morte o vosso direito de dizê-lo”.

(Voltaire)

“A palavra é metade de quem a pronuncia e metade de quem a escuta”.

(Montaigne)

"Então escrever é o modo de quem tem a palavra como isca: a palavra pescando o que não é palavra. Quando essa não-palavra - a entrelinha - morde a isca, alguma coisa se escreveu".

(Clarice Lispector)

“Quem não compreende um olhar também não compreenderá uma longa explicação”.

(Provérbio árabe)

“Palavra puxa palavra, uma ideia traz outra, e assim se faz um livro, um governo, ou uma revolução, alguns dizem que assim é que a natureza compôs as suas espécies”.

(Machado de Assis)

“Por vezes a palavra representa um modo mais acertado de se calar do que o silêncio”.

(Simone de Beauvoir)

“Sou um monte intransponível no meu próprio caminho. Mas às vezes por uma palavra tua ou por uma palavra lida, de repente tudo se esclarece”.

(Clarice Lispector)

sábado, 2 de janeiro de 2010



E mais um ano se inicia...
É quase inevitável, nessa hora, pensar um pouco mais na vida, fazer um "balanço final" e desejar que tudo melhore um pouco... até o que já está bom!
Isso é muito saudável! Acreditar que tudo pode sempre melhorar é ótimo!
E precisamos acreditar nisso, pois vivemos numa época difícil, num mundo conturbado.
Precisamos nos aproximar das pessoas, precisamos nos comunicar mais.
Precisamos acreditar.
Escrevi "Promessa de Ano Novo" num momento final. Um texto é um momento de vida. E naquele momento era o que eu sentia.
Agora, já em 2010, preciso me "redimir" e dizer: acho que quero, sim, prometer algumas coisas... Não muitas, não tão grandes, impossíveis ou impetuosas, mas algumas que considero importantes.
Amar muito as pessoas e me doar mais a elas.
Acho que será esta a minha meta para este ano, minha regra geral.
E qual é a sua?

Desejo a todos um ano maravilhoso!!!

;;